Unicafes e OCB publicam carta aberta contra a extinção do Selo Biocombustível Social
30 de março de 2022

Os rumos do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB), em especial o do Selo Biocombustível Social, já segue impactando o setor produtivo rural brasileiro mediante às medidas que deverão ser tomadas por parte do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).  Nesta semana, a Unicafes Nacional e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), entidades que representam as cooperativas, divulgaram carta aberta com questionamentos direcionados ao Congresso Nacional e alertando sobre a extinção do Selo na agricultura familiar.

 

O documento expõe que as novas medidas, tais como a antecipação da liberação de importação de biodiesel, partição do mandado de biodiesel com outros biocombustíveis e um possível cenário de descaracterização podem gerar a extinção do programa Selo Biocombustível Social.  O setor pede diretamente a preservação da mistura do biodiesel ao diesel no patamar de 80%. Atualmente, o SBC beneficia mais de 74 mil famílias de agricultores familiares distribuídas em 664 municípios, com 69 cooperativas agropecuárias atuando efetivamente no fornecimento de diferentes matérias-primas.

 

Segundo a carta exposta pela Unicafes Nacional, as medidas, se forem levadas a cabo pelo CNPE, colaboram sobremaneira para extinção do Programa Selo e o fechamento de várias indústrias em todo brasil.

 

O texto enfatiza que “a redução da mistura para B10 no ano de 2021 afetou diretamente a agricultura familiar e todo setor produtivo de Biodiesel, gerando um cenário de incertezas jurídicas para toda a cadeia, bem como, criando prejuízo eminente as indústrias e ameaçando a consecução dos objetivos estabelecidos no cronograma de execução do B15, como também, coloca o Brasil na contramão da política de desenvolvimento sustentável e descarbonização assumidas na cúpula do clima”.

 

Texto: BCCOM Comunicação

 
2022 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual