Para reivindicar medidas governamentais referente à estiagem, presidente da Unicafes Rio Grande do Sul participa de agenda em Brasília
17 de fevereiro de 2022

A estiagem tem afetado significativamente os três estados do Sul: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, além do Mato Grosso do Sul. Há meses, representantes de entidades ligadas ao meio rural realizam agendas e mobilizações com o intuito de procurar soluções para minimizar a situação que preocupa milhares de agricultores familiares.

 

Da mesma maneira, o presidente da Unicafes Rio Grande do Sul e também secretário de Formação da Unicafes Nacional, Gervásio Plucinski, participou em Brasília (DF), na terça e quarta-feira (15 e 16), de uma Missão Oficial da Assembleia Legislativa do RS para reivindicar medidas governamentais para o enfrentamento da estiagem no Estado. Estiveram com ele o presidente do Legislativo, Valdeci Oliveira, além de deputados de diversos partidos políticos e demais líderes do campo.  Vale ressaltar que a articulação que culminou na Missão Oficial foi uma reinvindicação de várias entidades que trabalham em prol da agricultura familiar, entre elas a Unicafes RS.

 

Em reunião com o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, foi assegurada a concessão de cestas básicas às populações rurais atingidas, locação de caminhões pipas às localidades em estado de emergência e ainda recursos para o custeio de combustíveis, durante 90 dias.

 

Já com o secretário- executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes, a situação foi diferente. O mesmo informou que não existem medidas efetivas voltadas para a agricultura e reconhece que são necessários recursos para crédito extraordinário, para renegociar dívidas passadas e inclusive para garantir o Plano Safra deste ano que está em curso e foi suspenso.

 

Plucinski avalia que a agenda com a Defesa Civil foi produtiva, já que foram feitos anúncios concretos de ações, porém com o Mapa às expectativas não se efetivaram. “Além de não terem recursos para combater a estiagem, o Governo não tem recursos para colocar em operação o Plano Safra atual, o que também nos preocupa com o próximo Plano, já que o déficit só aumenta”, observa.

 

Texto: Daiane Benso – Ascom Unicafes Nacional/ Com informações da Agência Alergs
Foto: Leandro Molina/Divulgação

 
2022 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual