Paixão pela apicultura move a vida de jovem mineiro
23 de novembro de 2021

“A minha vocação é o campo. Não é um trabalho, é um hobby”. É assim que Luís Miguel Honório Fernandes, 23 anos, de Bocaiúva, Minas Gerais, define o significado da apicultura em sua vida. Filho de funcionários públicos, o jovem reside na zona urbana, mas é no campo e com a criação de abelhas que é feliz.

 

Estudante do curso Técnico em Agropecuária, atualmente atua como apicultor e no Conselho Fiscal da Cooperativa dos Apicultores e Agricultores Familiares do Norte de Minas (​Coopemapi) e também é diretor da Secretaria da Juventude da União das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) Minas Gerais.

 

Incentivado pelos pais de um amigo de infância, o gosto em mexer com as abelhas começou cedo e, com 16 anos, Fernandes já realizava as principais etapas do processamento do mel, como a desoperculação dos quadros, centrifugação, filtragem e decantação.

 

A paixão por essa cadeia produtiva aumentou no decorrer dos anos, sendo que o jovem vem se aperfeiçoando com novas técnicas de manejo.  O mel de aroeira, por exemplo, um dos que trabalha, é um dos melhores do mundo e possui comprovação científica de benefícios associados a doenças de pele e infecções gastrointestinais ou do trato urinário. Hoje, a Coopemapi exporta o produto para a China, Estados Unidos e Japão.

 

 “Essa é a minha vida e continuarei esse sonho, sempre buscando melhorar, me aprofundar nas políticas sociais e contribuir com a cooperativa e com a Unicafes nos mais diversos projetos. No início foi difícil, não tinha voz e por ser muito novo os mais experientes não acreditavam em mim. Com o tempo ganhei o respeito e hoje minhas experiências servem de inspiração”, conta.

 

Fernandes ressalta que o jovem precisa escolher a profissão baseada no que faz o seu coração vibrar. “Eu não troco a apicultura por nenhum outro serviço. É preciso fazer o que te faz feliz, sem obrigação ou por dinheiro. É preciso paixão, escutar sempre o coração. Eu sou feliz demais aqui, passo sempre rindo. Quando se trabalha com o que gosta a vida é mais leve”, ressalta.

 

Para saber mais sobre a história de Luís Miguel Honório, escute o podcast:

 

Texto: Texto: Daiane Benso/Ascom Unicafes Nacional
Foto: Arquivo pessoal

 
2021 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual