Em meio aos desafios, jovem produtora de leite catarinense segue investindo na agricultura familiar
06 de janeiro de 2022

Trabalhar com o que se ama, junto de quem se ama. Para Claudiane da Silva Bloemer, 25 anos, de Rio Fortuna, Santa Catarina, esta é a melhor maneira para definir a sua profissão de agricultora familiar. Criada na roça, desde a infância a jovem acompanhou os pais no cultivo de fumo e na bovinicultura de leite, e hoje, casada, com o apoio do esposo Junior Bloemer, ela segue à frente dos serviços da cadeia produtiva do leite.

 

A história iniciou há quatro anos, com a aquisição de cinco vacas, depois foram mais cinco, e hoje Claudiane possui 15 animais que estão em lactação, sendo que a propriedade conta com 23 vacas. O amor por este trabalho tem sido responsável pelo fomento de melhorias, como por exemplo, da canalização da ordenhadeira há um ano.

 

A jovem afirma que além da cooperativa de crédito Cresol, que auxiliou com o financiamento para a compra da máquina, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-SC) são duas entidades que apoiam e incentivam a atividade na agricultura familiar.

 

“São diversos os desafios na cadeia do leite, principalmente relacionados à comercialização. Os insumos são caros e o preço que pagam pelo nosso produto é baixo. Falta valorização. Por outro lado, somos gratos por organizações governamentais que nos motivam, além de termos uma relação de intercooperação com vizinhos que enriquece e nos permite maior troca de informações e experiências”, comenta.

 

Claudiane destaca que o sonho dela e do esposo é permanecer no campo, criar os filhos em contato com a terra e investir ainda mais na cadeia do leite. “Para o agricultor familiar não existe chuva, frio, temos que trabalhar independentemente do tempo. Mas mesmo em meios aos desafios, hoje me sinto alguém, valorizada, mais vista pela sociedade e, quero continuar aqui, assim, evoluindo e estando perto de quem amo e fazendo o que me realiza”, salienta.

 

Para saber mais sobre a história Claudiane da Silva Bloemer, 25 anos, de Rio Fortuna, Santa Catarina, escute o podcast:

Texto: Daiane Benso/Ascom Unicafes Nacional
Foto: Arquivo pessoal

 
2022 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual